O tal dos vinte e poucos anos

Quando eu tinha uns 15, 16 anos eu já tinha em mente uma vida toda planejada. Achava que aos 25, ou até aos 27 anos, eu já estaria formada na faculdade, com minha casa (HAHA) e meu carro (HA-HA-HA). Só que eu mal sabia que isso era praticamente impossível, a não ser que eu tivesse muita sorte nessa vida, coisa que eu não tenho.

Dia 5 de Maio eu completei meus 23 anos e aí eu parei para pensar como tá minha vida hoje. Na verdade venho pensando muito sobre isso. Faltam dois anos para eu completar os 25 e ainda não estou nem perto de conseguir aquela vida que eu sonhei aos 15. Hoje eu não sei como minha vida vai ser amanhã, o que dirá daqui a 2 anos. Hoje eu abandonei a tal faculdade que eu fazia, faltando apenas dois semestres para terminar. Hoje eu não tenho um trabalho fixo, faço freelas e trabalho em casa (muito bem, obrigada!). Hoje eu voltei a fazer pré-vestibular. Ou seja, nada nadinha do que eu tinha planejado aconteceu.

O que mais aprendo com essa história é que a gente nunca sabe o que pode acontecer amanhã, e esse é um dos maiores clichês da vida. Quando eu planejava tudo e nada acontecia, eu ficava decepcionada comigo mesma. Mas daí eu vi que não é bem assim… nem sempre o que eu quero, o que eu planejo pode vir a dar certo.

Como eu sou evangélica, acredito que toda minha vida está baseada na vontade de Deus, logo, se eu planejar toda minha vida, e ela não estiver de acordo com aquilo que Ele quer, não adianta de nada. Por isso, eu parei de me preocupar com o futuro porque está tudo nas mãos Dele, e sei que Ele tem o melhor para mim e para que vou ficar me preocupando?

Hoje eu estou no pré-vestibular, faço freelas, moro com meus pais, não tirei nem minha carteira de motorista e estou muito feliz, obrigada! Se isso não é um ideal de vida, que as vezes a própria sociedade nos empurra para esse “sonho”, eu não estou me importando nem um pouco. E como dizem por aí: o amanhã a Deus pertence. E eu vou fazer tudo para que o hoje seja maravilhoso para amanhã eu ter a oportunidade de dar o meu melhor mais uma vez.

All is not lost, become who you are, it happens once in a lifetime. (…) In this needle and haystack we are once in a lifetime. – Switchfoot | Needle And Haystack Life

Anúncios

5 comentários sobre “O tal dos vinte e poucos anos

  1. manie disse:

    que texto amor… e real
    eu tenho 19, mas não tenho a vida que eu sonhei quando eu tinha 14 anos
    e o melhor de tudo isso é que eu tô muito feliz assim… pra gente ver como a vida é doida
    pensava em sair da escola e morar em sp no caos metropolitano e hoje tudo o que eu quero é tranquilidade… ainda quero ser jornalista, como sonhava na época, mas agora estou com meus pés muito mais no chão, sabe? acho que a gente vai ganhando maturidade diante dos nossos sonhos.

    a sociedade impõe que a gente siga uma vida planejada desde o momento em que saímos da barriga das nossas mães. que a gente se forme, trabelhe, aposente, tenha filhos, etc… mas a gente realmente não pode controlar tudo isso… e é tão melhor viver de um jeito mais livre e inspirador, né?

    http://www.pe-dri-nha.blogspot.com

    Curtir

    • Debs Braga disse:

      É verdade, acho que acabamos sonhando com essa vida porque somos novinhos e é o que vemos como o “legal” que a sociedade diz ser. Mas aí acabamos crescendo e vendo que o legal é totalmente diferente, livre e melhor.
      Beijo

      Curtir

  2. Brendha Cardoso disse:

    Eu fiz aniversário há dois dias e escrevi um texto falando sobre isso no blog. Em determinados pontos da nossa infância, a gente acredita que quando tiver os tais 20 e poucos já temos a obrigação de estar com a vida engrenada. Nós vemos as pessoas bem sucedidas, com 20 anos e donos de empresas, com seus carros, casas, família, cachorro e papagaio. Mas o que a gente não vê, muitas vezes, é que deixar de seguir esse padrão e viver de acordo com nossas próprias regras é muito mais saudável e prazeroso.

    Concordo com você. Deus sabe o que faz e o futuro a Ele pertence, portanto, não devemos nos desesperar diante das dificuldades. E daí que eu não sou nada do que meu eu de 15 anos esperava? Eu tô bem assim, eu tô seguindo os meus sonhos e não importa o quanto isso custe, eu vou chegar lá. Com 20 e poucos, 30 e poucos, 40, tanto faz. O que não dá é pra deixar de aproveitar o caminho…

    macabea-contemporanea.blogspot.com

    Curtir

Gostou? Então comenta aí...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s